Guarani Kaiowá

Há 280 mil indígenas do povo Guarani na América Latina. Desses, 60 mil são Guarani Kaiowá e Ñandeva vivendo no Mato Grosso do Sul. Por conta das políticas públicas promovidas pela bancada ruralista para beneficiar o agronegócio, eles sofrem uma das maiores violações de direitos humanos do Brasil. E resistem há 519 anos.

There are 280 thousand Guaranis living in Latin America. In Brazil, we have 60 thousand Guarani Kaiowá and Ñandeva living in the state of Mato Grosso do Sul. They suffer one of the most violations of human rights in Brazil as a result of the ruralist front, a parliamentary segment that acts on behalf of farmers to strengthen agrobusiness. The Guaranis and Kaiowás resist for 519 years. (All the stories below have an English version inside the gallery)

10.JPG

As Rezadoras

Série de retratos das rezadoras, as xamãs (‘nhandecy’ no guarani) que representam a força das mulheres nas retomadas e na luta pelos direitos territoriais dos Guarani Kaiowá. As fotos foram feitas na casa de reza da aldeia Amambai, durante o Aty Kuña (Assembleia das Mulheres Guarani Kaiowá). Julho 2018.

A3198C4B-FF64-434B-98A2-6C9C21666207.JPG

Ñu Vera

O Ñu Vera é uma aldeia retomada pelos Kaiowá em 2011, nos arredores de Dourados. Eles reivindicam o pedaço de terra entre a Reserva Indígena de Dourados e a área urbana como seu território tradicional (tekoha) e lutam na justiça pela demarcação de sua terra. Enquanto o futuro das 30 famílias moradoras da aldeia depende da “canetada” dos homens brancos, elas resistem ao agronegócio. Julho 2018.

LANDAU_familias_guarani_kaiowa_01.JPG

Famílias

Fotos de famílias Guarani Kaiowá fotografadas em seus tekoha — todas feitas a pedido das famílias. As posições foram escolhidas por eles. Em algumas fotos eu sugeri o fundo, mas a maioria eles escolheram. Os tekoha que aparecem são: Cerroy, Lima Campo, Ñu Porã, Jaguary e Guassuty. Dezembro 2018.